Ocorreu um erro neste gadget

Subtraindo

SUBTRAINDO



(Daniel FV - 26/03/2007)

171
é o número do jejum

pra quem marca 12 mais 1
manda uma 51 e que venham mais
pra assim conquistarmos a paz

entre seus 9 sempre acuados

já está lá pelos 40 graus...

100
garrafas em 7 dias...

de blue label a banhaus

Minha equação cerebral

não me permite calcular milhões

só sabe contar 8 pedaços de pizza

e evita ao máximo especulações...
e para quem escolheu aquilo
que venham mais "prósperos 4"

somando 8 anos de atraso

rastejando a nós tal qual 1 rato
que nunca sabe o que se passa

e não cuida da própria cria

ele só sabe dar 1 lambari

e praticar a demagogia

50
reais pra quem tem 15 filhos

pra 1 povo que ama o trabalho

pro buteco beber 20 brahmas!!!

jogar 7 partidas de baralho!!!
10% de massa cinzenta é elogio!
as estrelas só pensam em "luta"

o cinza não é o forte delas
são as filhas de uma boa senhora
pra finalizar essa conta besta
de 666 putas palavras...

o meu último desejo
é me livrar dessas amarras

que eu não fique entre 4 paredes

vendo o sol nascer geométrico
em uma forma desproporcional

em um espaço milimétrico!



se vc não entendeu... 12+1 pra você! é o que você merece!

Foi no Hall

Antes de caírem na gargalhada (kkkkkkkkkk) deixe-me explicar... eu não fui corneado (não nessa época) nem tomei um chute de namorada (não nessa época [2])... é somente uma música... uma viagem! No melhor estilo Raulzito e os Panteras... misturado ao estilo Rockability! Agora podem cair na gargalhada com essa besteira! kkkkkkkkkkkk


FOI NO HALL

(Daniel FV - 11/12/2003)

Quando caía a noite
O escuro dominava
A ela eu recorria...
Ela me iluminava!
ó farol!
Eu aqui a navegar
ó farol!
A me guiar por este mar
ó farol!
Me ensinou a amar
ó farol! Que me guia! ó farol!

Na gélida manhã
O orvalho caía
quando te abraçava
você me aquecia
ó meu sol
você era minha alegria
ó meu sol
Era a luz do meu dia
ó meu sol
Fonte de energia
ó meu sol! Me aquece! ó meu sol!

Na tarde sonolenta
estava a pensar
você quem me fisgou
e me chamou pra namorar
ó anzol
sempre a minha musa
ó anzol
Que me ilude e me usa
ó anzol
minha querida intrusa!
ó anzol Que me fisga! ó anzol

Mas um dia me calei
Foi quando ouvi sua voz
Você a me perguntar
"O que será de nós?"
Lá no hall
Juras de amor eterno
no hall
viraram "amor fraterno"
no hall
Juras de amor eterno
no hall
viraram "amor fraterno"
no hall
Lá eu fui pro inferno
no hall, foi no hall, lá no hall...


FIM DA TOSQUICE! KKKKKKKK

O Monte Olimpo é Aqui


O Monte Olimpo é Aqui
Daniel FV - 05/02/2007



[refrão]
Os hábitos modernos
de morna hipocrisia

Os ares indiscretos
de podre supremacia

Nesse mundo tão incerto
onde quem mata é rei

O fim parece tão perto
onde vai parar já não sei!

[/refrão]

Pobre Ares, deus da guerra
sua força cai por terra

Pois há um concorrente do "bem"

com Bush não há pra ninguém


Athena que nunca antena

Quando rolam cabeças pequenas

O pentágono não blefou
Na forca Saddan se enroscou


Refrão


Poseidon e suas ondas gigantes

Destrói países distantes

Mas o povo fica indiferente

Não foi mesmo no meu continente...


Apolo e sua luz abundante
Com nossa ajuda constante

Na maldade sacou a real

Viva o aquecimento global


Refrão


Zeus, que punha respeito e medo

seus raiozinhos estão obsoletos

não valem de nada, podem se apagar

Já não é novidade a tal bomba H


Eis que Hermes liga a tevê

E paga tão caro pra ver

Notícias desse Brasil
"Explode a guerra civil"

Refrão

Prometeu já se lascou
com fogo nos presenteou
Com fogo o homem mata
E já não há mais extintor

Então Hades sorri satisfeito
Com nosso mundo em guerra
Seu plano corre perfeito
Com esse inferno na Terra

Refrão

Vos revelo que os deuses do Olimpo
Foram expulsos da antiqüidade
decidiram então baixar
na estátua da liberdade


Eu me pergunto, que culpa tenho eu?

A resposta é simples, não posso esconder
a conta não cai no colo dos deuses
a conta quem paga somos eu e você!

O Que É Valioso

O QUE É VALIOSO

(Daniel FV - 10/03/2007)


No fundo de um baú aberto
depositei minha saúde
ainda sou forte pra vencer
com coragem e atitude!

No fundo de um baú furado
coloquei o teu coração
Não importa que ele esteja lá
Pois não temo nenhum ladrão

No fundo de um baú sem tampa
guardei minhas raízes
rapaguice, terna esperança
eram tempos tão felizes

No fundo de um baú com tranca
guardei os meus rancores
a chave anda por aí...
Entremeia a tantas dores

No fundo de um baú pesado
guardei minhas qualidades
herança dos antepassados
compromisso e honestidade

Então digo sobre os baús...
Estão jogados por aí
Não valem um tostão furado
Me avise se os quiser abrir

Mas Guardei a jóia mais valiosa
No canto de um baú de ouro
é lá que está a minha essência
lá guardei o meu tesouro

Meu Rancho

Meu Rancho
Daniel FV - 02/03/2007





Cercas de papel
cercam o gado miúdo

Aquele que mal tem pasto

elas cercam quase tudo...


Fazendas deixadas ao léu

por latifundíários de nome

que deveriam delas cuidar
mas não têm palavra de homem


O veterinário é ruim

O silo cheira a merda

O capim mal distrubuído
é seco e cheio de erva

O curral perdeu o teto

A Mimosa já ficou doente

O leite que sobra é tão pouco

O bezerro está sempre carente
Nesse rancho não há segurança
São os lobos quem têm liberdade
O gado vive confinado
Uma vida sem dignidade

É gado demais em um lugar

É gado em cima do morro

gado branco, preto, amarelo

e manso como cachorro

Eis que de tempos em tempos

a teta não rende mais nada

a vaca iria pro brejo

Com o estouro da manada

Mas é um gado inofensivo

ruminantes sem rompante

só querem saber de folga
...
não ligam pro que é importante


Cercas de papel

vigiadas pelo rei da boiada

escolhido pra mandar
por uma gente mal informada


Quem tem rancho nesse país
não gosta de ir ao curral

só pensa em comer o filé
e arrotar no carnaval!

I Wanted To Believe

I Wanted To Believe
(Daniel FV 21/06/03)


Eu queria acreditar em algo...

Em algo não terreno, e sim superior
mas acho que a inquisição
Parece mais um filme de terror

Eu queria acreditar em algo
Em algo que me confortasse a alma
Mas não sugiro aos condenados
Que na fogueira mantenham a calma

Eu queria acreditar em algo
Em algo que me alegrasse o coração
Mas vejo uma fila de mendigos
Nas calçadas onde segue a procissão

Eu queria acreditar em algo
Em algo que não fosse dessa Terra mesquinha
Mas enquanto a Africa padece
O papa ainda condena a camisinha

Eu queria acreditar em algo
Mas acho tudo isso uma hipocrisia
Não me interessa o que outros pensam
Se minha idéia é loucura ou heresia

I wanted to believe in something
I allways looked for a way
But I´m not a blind man
I´ll fight instead of pray

You are used to believe in everything
And wait for the god´s voice
To guide you everywhere
You forgot that he offered you a choice



(essa é das antigas... meados de 2003!)
a primeira que eu escrevi... e como perdi todos os meus textos... dessa aí eu me lembro perfeitamente! Abraços... e... procurem não ficar chocados! kkkkkk