Ocorreu um erro neste gadget

Whiskey

WHISKEY

Daniel FV - 13/12/13





Eu quero da vida
Um copo de whiskey
Um amigo que diz que
A vida compensa
Eu também espero
Um canto de mato
Meu pranto cessado
Fechado à defensa


.

Sina

SINA
Daniel FV - 03/12/13

Hora adentro, entro insano
Passa ano, passa dia
Só não passa a agonia
De tentar te desvendar
No ensejo de te ver
Vejo a fria tênue chama
Que mesmo cansada inflama
Esse pobre a malparar




.




Alheio



ALHEIO

Daniel FV - 01/12/13



Viajo em cenário abundante
de constantes contrastes serenos

Da cidade da pedra corrida
O pior dos brandos venenos
A saudade da gente querida
em casarão tão antigo
de tábuas, cores e vidas
curral, carneiro e bica
pra onde quiça, eu siga
pra poder depois voltar

E lá já abonançado
Volto à lembrança indeciso
à terra dos verdes pastos
Minha cidade sorriso
onde os bambus envergados
apontam a felicidade
e também já tão ligeira
A volta da soledade

Que Deus tende piedade
E seja o meu esteio
Pois digo com sinceridade
Que ando um tanto alheio



.

.

Menino



MENINO



Daniel FV - 21/11/13




Raiou em ideia solene
De agora altivo ostentar
Perene, um barco com leme
Um barco, uma casa, o lar


Mas como outrora espera
Questiona instável e ressoa
Por que com o olhar de fera...
Querer o recato em pessoa?


E o quasímodo de agora
N'aurora gelada, o destino...
Queixa, e a dolência chora
Por sempre habitar um menino





.

Bengalas

BENGALAS
Daniel FV - 20/11/13


Parte e chega, morre e vive, o que semeia a ternura

Vida dura, mole ou triste, de alma letárgica e pura

E a ocasião faz o poltrão, que cospe na própria cara

E este que sempre se nega, se arrasta e a voz se cala

Sem toque, o tato definha

Sucumbe como a vinha

Regada indevidamente



É hora da reação!

De deixar de velhas bengalas!

Quem sabe um dia embalas...

Um velho coração.




.

Whore

WHORE



Daniel Fv - 17/11/13



I've been walking alone... for the whole life

Standing on the others' feet
But time goes by, and I don't know why
I can still look up to it


I've been flying alone, with the other guys
girls, thoughts, drinks and so
I'm enjoying it all, I just don't know why
I wanna leave the plane though


I´ve been running my way, by the others' line
Huffing, puffing, and dreaming the day
I'd stop suffering, just not having why
thinking on a reason to stay


But time goes by, and I don't know why
I can surprisingly look up to it
Cause life is a whore, leaves without bye
But brings you all you can eat



.

Imperfeição

IMPERFEIÇÃO

Daniel FV - 17/11/13

No escuro, há um tempo atrás
E no instante de um tempo algum
A cabeça remoinha e vocifera
O costumeiro imbróglio incomum

Queria rasgar o peito eloquente
E bradar o que não podes saber
Serenar de uma vez o coração
Que congelado, só pulsa por dever

A culpa não é de ninguém, irmã
Tão somente do meu fado opressor
Que puniu-me por ser o que sou
A imperfeição em forma de pudor


.

Gente

GENTE

Daniel FV - 30/06/13

Hei de ser rocha ou metal
Aquele que é mais humano
Há de se erguer tão real
Aquém do grito ecoando
E perene aos prantos
Na moenda da noite
Enquanto a manhã espera
O escárnio da dor
No limiar de transpor
O limite de besta fera
Na extensão que se lasca
Viceja o olhar transparente
Pois gente será sempre gente
Indiferente sua casca
Ou berço opulento
A dor se fará presente



.

Sigo

SIGO
(Daniel FV - 28/06/13)


Sigo brincando de dizer verdades
Vez em quando eloquentes
Levando um sorriso estoico
Sigo nada ou tanto heroico

Sigo ao poente, por onde for
porque recuar não é opção
Recuam as nuvens, ideias, e gentes
O tempo e a palavra seguem correntes

A mão estendida ao lado...
O corpo estirado do outro...
A paz já tão desejada
No limiar da alvorada

Se me ouves, pai gentil
Saibas que não me queixo
Tenho lá minhas primazias
Segundo tuas profecias

E se és mesmo bom ouvinte
Dai-me aquela dor certeira
Pra seguir ou sucumbir
Carregando minha bandeira 





.

Jogo

JOGO

Daniel FV (25/06/13)


O peão que era amansado
Fadiga patente no rosto
O selo nos quartos de gado
Na boca, sabor de desgosto

Nos olhos, impresso o cifrão
Nas mãos, o calo que aflora
No sonho, a tal pretensão
De lutar como fora em outrora

E eis que em data sublime
Ergue-se em fúria o punho
E a voz em sangue redime
O cego e vil testemunho

E agora no fronte sacode
O jugo imposto ostentoso
E grita em tão própria ode
O seu desabafo ruidoso

Ainda não sabe o desfecho
De tão coagido motim
Só sabe que esse é trecho
Da grande peleja sem fim

.







Treco

 TRECO

Daniel FV (31/03/13)

Um olho "de olho" no peixe
E o outro maroto no pé
Batuque e bunda de enfeite
O som que parece e não é

Uma orelha de burro abana
Inaudível trecho de treco
E a outra em caravana
Já dança em transe de eco

Um gosto que gosta do imposto
No oposto do que escolher
Entre o pré-fabricado ardiloso
Ou o próprio e apurado poder

Ser "cool" é "cool"
Ser "ser" é "dose"
Mil vivas ao "tchê rê tchê tchê"!
E que venham outros 500!



.

"Maldade"



Um pouco de cultura "Ctrl+c Ctrl+v"



Maldade

Segundo o dicionário (http://www.dicio.com.br/maldade/)

Significado de Maldade

s.f. Qualidade daquele ou daquilo que é mau.
Atitude ou ação de quem faz o mal.
Ruindade, perversidade, crueldade.



Malícia

Significado de Malícia

s.f. Tendência para julgar, dizer, agir com maldade.
Dito picante; brejeirice levemente impudica: história cheia de malícia.


Sinônimo de malícia: diabrura, maldade, malvadeza, traquinice e travessura

...



No Brasil, a "aquisição" destas é fortemente "recomendada"...

A conclusão é tua!

Boa noite!




.



Migalha

Migalha

Daniel FV 21/03/13


Posto de lado o decoro
E abolida a gratidão
Restará o que te resta
O conforto e o pão

Servida a tua cabeça
e moídos os nervos
Manso que estás
Serás melhor servo

Mas nada disso custa
Se ao final do dia
Há lampejos de sorriso
e a nova garantia

De tão cedo acordar
Para esperar de novo
Que sejas tanto visto
mas não como estorvo




 Obs: Porque quem não chora...



.