Ocorreu um erro neste gadget

Dividido


DIVIDIDO

Daniel FV - 16/09/11


Vivo sempre dividido entre o meu ser
Sendo um regozijar, outro perecer
Sigo mesmo perseguindo esquecer jamais
Corro em busca da vida, em busca de paz

Sigo metade luar, meio amanhecer
Vivo o dia a pensar e ao anoitecer
Sonho um sonho real ou fora da lei
Corro atrás já em prantos, do que já não sei

Entre esse meu lugar e onde a viver
Um deles me faz sonhar, outro me suster
Sigo metade de mim em metade do ano
E pago com sonho e dor por um mero engano


.

Poente da Vida - Goiá

Linda composição do sertanejo Goiá. O "poeta de Coromandel".
O mesmo autor de outra bela e aclamada canção
"Saudades de Minha Terra"


Poente da Vida

Goiá/Dionilde Thomaz


Amigo escute com calma
A minha pobre canção
Que traz lembranças da alma
Guardadas no coração
Há quase dezoito anos
Um sertanejo menino
Partiu seguindo o destino
Buscando uma ilusão
Só muito tarde entendeu
Que a sua felicidade
Era viver de saudade
Do seu amado sertão.

Marcado pela tristeza
Desesperado e aflito
Fez versos à natureza
E àquele solo bendito
Nas matas, campos e lagos
Encantos de uma terra
Citou o alto da serra
No amanhecer mais bonito
E o astro rei majestoso
Nas manhãs mais coloridas
Pintando quadros da vida
Na tela do infinito.

Que vida mais cor-de-rosa
A sorte deixou perdida
Na estradinha mimosa
De minha infância querida
Porque sou eu o caboclo
Que por missão ou vaidade
Deixou a felicidade
Na terra nunca esquecida
Quis o destino mandar-me
Sentir na grande cidade
O alvorecer da saudade
Já no poente da vida

Voltar não pude é verdade
À terra dos madrigais
Pra não morrer de saudade
Com a falta dos velhos pais
E hoje um tanto alquebrado
Herança dura da sorte
Espero antes da morte
Nos meus instantes finais
Que Deus permita que eu sonhe
Com aqueles campos de flores
Na terra dos meus amores
Que não verei nunca mais

Música - Interpretação - César Menotti e Fabiano


Sempre que eu escuto essa música, me pego lembrando de Itamarandiba, do meu
saudoso avô, que foi tropeiro por aquelas bandas e de sua lida com os animais e
o seu amor pelo seu sertão.

Em tempo: Isso é sertanejo! Esse é do tempo em que cantor sertanejo "vivia" o sertão!
Lamentável ver o que se tornou tão belo gênero musical, salvo raras exceções.



.

Soberania


SOBERANIA
Daniel FV - 07/09/11



Liberdade é mera quimera
Do bobo que vê tudo e chora
E ainda insólito espera
Viver sem prazo nem hora

Queria entrever o suposto
E não prover o que é teu
Colher o suor deste rosto
Mas não ser mero plebeu

Mas eis a nação soberana
Que engana-te e faz-te pensar
Que a tua pobre choupana
É simples, mas é doce lar

E o teu lutado ordenado
Que por pouco te faz viver
É só mais breve agrado
A quem você fez eleger


.

Produze

PRODUZE
Daniel FV - 02/09/11


Produze o que te é dito
Na veia pulsante do tempo
Produze e cala-te o grito
Restrito até em alento

Produze o que fores capaz
Não importa o preço de tal
Deleita em glória fugaz
Do que jamais foi real

Produze o quanto puder
Em troca de sangue e suor
Esquece o filho e mulher
E assombra o nada ao redor

Produze o seu sacrifício
Pois vida é produção
E jaze nos ossos do ofício
Em busca de redenção


.

Insanidade


INSANIDADE
Daniel FV - 02/09/11


Dito posto um limite
Entre o triste e o indiferente
Minha mente converge o que existe
E repousa em traço de gente

De tal suposto real
Me perco nas noites em claro
Tramando no intemporal
Vagando em vil desamparo

Do que me escapa agora
Não sei nem mesmo prever
Como é o dia lá fora
Ou noite ao escurecer

Não sei o que é ilusão
Se a vida me foi um traço
Do que poderia ou não
Findar no tempo e espaço


.

Ensaio

Eis o projeto (AGORA OFICIAL) para a "morada" do GALO DOIDO
e de suas companheiras. Vou morrer em uma grana com esse terreiro.
Me desejem sorte e fortuna kkkkkkkkkk


Teatro


TEATRO
(Daniel Fv - 29/04/11)



Tem gente fingindo a vida
fugindo encarar o real
No beco que não tem saída
em que todo ator é igual

Tem homem que se engana
Mas na cama o travesseiro
Proclama a verdade insana
Que a vida não segue roteiro

E o ator mesmo em pranto
Prossegue o teatro infinito
Vivendo em prosa e canto
Sorri quando lhe vem o grito

E em toda essa pantomima
Se vê que o futuro é agora
na vida que tanto ensina
e cobra o ingresso por hora


.

Dor

DOR
(Daniel Fv - 01/05/2011)



Do que rege o por do sol
Ao que urge o seu nascer
Tempo passa, tempo volta
E a lembrança em você

Ao que mexe com os sentidos
tão contidos no meu ser
sigo rumo minha vida
não me vejo sem te ver

Pois que tomas minha vida
ressentida de viver
Vou pra onde quer que seja
E estou sempre em você

Vivo quanto o possível
deferido no tanger
Dessa meta implacável
Que é viver sem te esquecer

Mas ensinas noite e dia
A viver e entender
Que isso tudo é passageiro
Mesmo o mal que é você


.

Proximidades

PROXIMIDADES

(Daniel FV - 20/02/2011)

Inconstante como sabido
Perito na arte do agouro
Se agora se posta polido
De certo o metal não é ouro

Retrata o fato antigo
Fracassa no furo futuro
O fruto de farto perigo
Se cruza diante do muro

Minguante que fosse embora
Tem hora pra dar e vender
Sem ter criança que chora
Pra seu vil devido prazer´


.

Realidade

Enfim, terra!

Adquirimos o terreno para o sítio em 26 de fevereiro de 2011!
A medida é de 10.000 metros quadrados, dos quais, coisa de 6000
constam como uma bela mata nativa (a qual vamos preservar).





.